Eu estou bem, estás a ouvir?

kidOntem depois do jantar e antes de ir para a cama o meu filho de 10 anos disse-me que estava mal disposto. “O meu estômago está com demasiado odor a queijo…” queixou-se meio dobrado (É assim que ele às vezes descreve o que sente… por exemplo uma dor de cabeça, parece um tomateiro a ganhar raízes…)

“Veste o pijama, coloca-te direito e senta-te um pouco no sofá enquanto eu deito a tua irmã.”

Quando cheguei à sala, 5 minutos depois, já estava animado. “Então? Já estás melhor?” “Já estou bem! Resolvi estar bem e dizer ao meu cérebro que estou bem! E ao estômago disse: Não venhas cá com coisas que eu estou bem, estás a ouvir? Deixa-me em paz! Já te disse que estou bem e não quero saber! Por isso não te ponhas a inventar que eu cá não vou ficar mal disposto!”

E assim foi. Foi para a cama bem disposto.

Acredito que podemos realmente comandar os nossos sentimentos e que o nosso cérebro é uma máquina brutal. Faz o que lhe mandamos fazer. Acredita no que o mandamos acreditar. Devíamos usar mais este poder! Estar bem é uma decisão!

Como o meu filho tem apenas 10 anos o nível de crença dele é maior. Ainda não levou com meio mundo céptico a dizer que as coisas não são bem assim. E como acredita, acontece… tem o poder de fazer acontecer.

Ponho-me a pensar… como seria o mundo se todos resolvêssemos acreditar que somos felizes?

 

Nós os bons somos mais

IMG_8274

“Nós os bons somos mais”.

A primeira vez que vi esta frase foi num congresso e estava em Espanhol. Numa apresentação dada pelo Venezuelano Santos Lever, mentor no projeto em que trabalho. “Los Buenos somos mas” aparecia no grande écran. Ele vive num país com altas dificuldades e ainda assim falou-nos em abundância e numa atitude positiva perante a vida. Não deixou que as circunstâncias ditassem a sua vida . Porque ele acredita que, de facto, nós os bons, somos mais.

E somos mesmo!

Numa sociedade construída com medos e desconfianças às vezes leva-nos a pensar que há mais gente má que boa. Mais truques escondidos na manga e mais vontade de enganar. Numa ótica ganhas tu ou ganho eu. Mas isso não é verdade! Esta muito longe da verdade de facto! Em cada um de nós há uma coração desejoso de viver e vibrar em amor. O segredo é não deixar que as circunstâncias ditem a nossa vida, como fez o Santos Lever! Como fazemos nós na Teamway!

Pegamos nos nossos sonhos e começamos a dar-lhes forma. E gritamos ao mundo que aqui, só nós podemos ganhar esta “guerra”. Que até podemos ter perdido batalhas, mas sabem que mais? Nós os bons somos mais! E quando nos juntamos nada nos pára!

Somos mais em número, somos mais em amor, somos mais em esperança, somos mais lutadores, somos mais crentes, somos mais fortes, somos mais agradecidos, somos mais corajosos, somos mais solidários, somos mais donos da nossa vida. E brilhamos mais também!

Nós os bons somos mais! E somos muitos! E estamos cá para mudar o mundo!

 

Tu não és estático

4

Sabes aquela pessoa, que não vias há tanto tempo e encontras por acaso… e que, apesar de terem passado anos e anos parece continuar igual? Mais velha… mas igual! O mesmo tipo de conversas, a mesma mentalidade, o mesmo tipo de actividade, as mesmas crenças. Parece que o mundo passou por ela, mas ela não passou pelo mundo. Não absorveu mais nada! Vive o dia-a-dia igual, como vivia há 5 anos atrás.

Eu não quero ser essa pessoa!

Mas às vezes encontro pessoas que já não vejo há muito, que partem do princípio que eu sou essa pessoa. Acham que me conhecem. Acham que as minhas atitudes e respostas são as mesmas, que acredito nas mesmas coisas, que uso a mesma linguagem, que tenho o mesmo estilo e os mesmos pensamentos. Só que não! Eu cresci! Todos os dias cresço e transformo-me.

Tal como um programa de computador que vai tendo actualizações, nós próprios também nos vamos actualizando. Criando melhores versões de nós mesmos. Ou pelo menos, se não o fazemos devíamos… porque computadores velhos não têm o mesmo desempenho. Essas pessoas que pensam que continuo igual esqueceram-se de “ler” a minha actualização.

Nós não somos estáticos. Se tivermos atentos, todos os dias aprendemos. Cada desafio é uma aprendizagem, um passo para a nossa versão mais actualizada. Gosto de acreditar que caminho para a minha melhor versão.

Quando olho para trás, vejo uma Marta que já não sou. E não há nenhum mal nisso, antes pelo contrários. Tenho orgulho de quem fui, mas muito mais de quem serei!

Tu não és estático. Muda. Experimenta. Tenta algo diferente. Talvez encontres a tua melhor versão.

 

Grow (e ser feliz)

Um dia a minha filha Mafalda, de 6 anos, perguntou-me – Mãe, tu tens um emprego?
Eu – Não! O meu emprego sou eu.
Mafalda – Como?
Eu – Nem toda a gente tem que ter um emprego filha! Um emprego implica ter um patrão e trabalhar para uma empresa. Eu trabalho para mim! Tenho trabalho, mas não um emprego.
Mafalda – E quando me perguntarem o que fazes?
Eu (a imaginar que a pergunta vinha da professora) – dizes que a tua mãe é empresária.
Mafalda – as minhas amigas não vão entender…
Eu – dizes que a mãe ajuda outras pessoas a serem melhores pessoas, ganharem dinheiro e serem felizes!
Mafalda – Acho que só me vou lembrar da parte de ser feliz!
Eu – então é isso que tens que dizer. Quando te perguntarem o que a mãe faz, dizes que a mãe é feliz!
E sobre isso que é esta página ❤

IMG_5930